quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

“Cair no Espírito” que pregadores como Benny Hinn propagam tem respaldo bíblico?

 
Por Ciro Sanches Zibordi

Muitos propagadores do “cair no Espírito” afirmam que, no dia de Pentecostes, o “mover de Deus” foi tão grande e espantoso que uma parte da multidão reunida em Jerusalém pensou que os cristãos estavam embriagados (At 2.13,16). Mas o contexto mostra que a zombaria dos incrédulos se deu em razão de os servos do Senhor terem falado nas línguas das pessoas de diferentes nacionalidades que ali estavam (vv.5-11). O culto a Deus deve ser controlado pelo Espírito Santo, que age em perfeita harmonia com a Palavra, para que tudo ocorra com decência e ordem (1 Co 14.20-40).

Na hierarquização feita pelo Senhor quanto a dons ministeriais, Ele priorizou os ministérios ligados à pregação e ao ensino (1 Co 12.28). Nas igrejas em que ocorre o “mover” em apreço, a exposição da Palavra torna-se secundária ou até “desnecessária”. Alguns defensores de manifestações não previstas em Marcos 16.15-18 citam 1 Coríntios 1.25 e afirmam: “Você acha esse mover estranho? Isso é a unção da loucura de Deus”. Entretanto, este termo não se refere à loucura proveniente de Deus. Trata-se de uma alusão eufêmica à superioridade da sabedoria do Senhor em relação à dos homens.


Daniel 10.8-9 e Apocalipse 1.17, em razão de mencionarem as quedas de Daniel e João, são passagens usadas em prol do “cair no Espírito”. O primeiro, sem forças para permanecer em pé, após ter jejuado por três semanas, caiu sobre o seu rosto, sendo imediatamente amparado por um enviado de Deus, que ordenou: “levanta-te sobre os teus pés” (v.11). O caso de João é semelhante (Ap 1.10-18). Nota-se que nenhum dos dois foi derrubado por sopros ou golpes de capas, tampouco perdeu a consciência. Ambos caíram prostrados sobre os seus rostos, diante da glória do Senhor.


Outra passagem muito citada na tentativa de avalizar o “cair no Espírito” é João 14.12: “aquele que crê em mim também fará as obras que eu faço e as fará maiores do que estas”. Aqui, o termo “obras” (gr. ergon) significa: “trabalho”, “ação”, “ato”. Exegeticamente, “obras maiores” são as mesmas realizadas por Jesus, mas em maior quantidade e alcance, e não em qualidade. O Senhor não aludiu a novos “moveres”, mas à pregação do Evangelho e à expansão do seu Reino na terra.


Finalmente, o texto mais citado pelos pregadores que ministram o “cair no Espírito” é 1 Reis 8.10-11. Mas esta passagem nada fala sobre essa manifestação. Ela relata que a nuvem da glória do SENHOR encheu a sua Casa e impediu os sacerdotes de ministrar: “não podiam ter-se em pé os sacerdotes para ministrar, por causa da nuvem”. Eles se retiraram do local, pois “não puderam permanecer ali” (ARA). Em Atos dos Apóstolos não há referência que abone o “mover” em questão. À luz do Novo Testamento, são os demônios que lançam pessoas ao chão (Mc 9.17-27; Lc 4.35). Jesus jamais derrubou alguém mediante sopros, golpes de capa ou imposição de mãos. Em seu ministério terreno, Ele ensinava, pregava e curava os enfermos (Mt 4.23; At 10.38).

Fonte: www.cirozibordi.blogspot.com

5 comentários:

  1. Caro Amigo e Irmão Xavier, a Paz do Senhor!

    Parabéns pelo seu blog e pelas mensagens bem elaboradas e acessadas no FACE.

    Vi uma frase minha que você destacou em sua página e estou aqui para agradecer. Não sou merecedor de ter todo esse destaque, mas como você é meu amigo, fico feliz porque sei que sua admiração é verdadeira.

    Abraço ao Pastor Clemente e a sua família.

    Obrigado e forte abraço.
    No Amor de Cristo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. CAI CAI É FEITO COM
      ANESTESICO INALATORIO
      OUTROS CAI DE MEDO

      Excluir
  2. Obrigado pastor Guedes,
    O senhor não sabe o quanto é bom para mim conhcer-te.
    Espero que Deus aínda nos dê varia oportunidades para estarmos juntos.
    Darei o abraço ao pastor Clemente sim.
    PS: Gostaria que o senhor gravasse aquela mensagem sobre Jesus.Risos.
    Eu aguardo.
    Sempre em Cristo,
    Xavier Campos Joaquim

    ResponderExcluir
  3. Prezados em Cristo
    Que a doce paz do Senhor Jesus permaneça em vossos corações.

    Para mim é um alento saber que ainda há um remanescente fiel que busca e propaga as verdades exaradas da Sã Doutrina oriunda das Sagradas Escrituras.
    Praza aos céus a continuidade de seu profícuo ministério sobre a face da terra. Como dizia meu saudoso pai: "Fazer o bem é apanágio das almas de eleição!"
    Ensejo que o Senhor o abençoe rica e abundantemente.
    Francisco Barros
    servo do Senhor Jesus

    ResponderExcluir
  4. Querido irmão Francisco José Barros Corrêa muito obrigado pelas palavras ,querido.Mas dizia uma amigo blogueiro em entrevista aqui que: Ainda existem e sempre haverão vozes no deserto invadindo as cidades e os palácios ou bom número de joelhos que não se dobraram e não se dobrarão diante da imagem de Baal ou Mamon.[Pastor Guedes] Pode ficar descansado porque Deus aínda tem muitos.Que Deus abençoe.

    ResponderExcluir

Paz do Senhor prezado irmão,
Nós neste espaço não publicamos ofensas,calunias,etc.

Que Deus abençoe.